Na procura da Felicidade vou, passo a passo, até ao fim do arco-iris
Terça-feira, 22 de Abril de 2008
Sentimentos

Nunca esqueço uma pessoa que tenha um dia conhecido. Posso esquecer o seu rosto mas não esqueço o que representaram para mim. E isso às vezes torna-me melancólica, nostálgica até.

Há dois anos fui às comemorações dos 20 anos da conclusão do meu curso. Reencontrei antigos colegas, alguns irreconhecíveis devido ao passar dos anos, outros que se mantinham iguais. Mesmo aqueles de quem já não lembrava a sua cara fizeram-me viajar àqueles anos onde tudo era uma descoberta, onde os projectos futuros se impunham.

Entre alguns colegas mais chegados reencontrei um que foi meu namorado durante 6 anos, desde o 2º ano da faculdade, o qual foi também meu colega de turma. Poucas vezes falámos desde que terminámos a nossa relação. Aliás, desde que eu terminei. Ficou sempre um mal-estar , uma mágoa. Sempre que nos reencontrávamos existia uma barreira entre nós, um constrangimento. Mas dessa vez foi diferente e eu senti que já podíamos reatar a nossa amizade, sentimento que da minha parte nunca morreu.

Sei que é difícil manter amizade com alguém com quem tivemos um relacionamento tão intimo e durante tanto tempo. Mas sempre achei que isso era possível.

Depois desse encontro almoçámos juntos por duas vezes, e na segunda vez deixámos bem claro que tudo era passado, que não existiam rancores antigos. Que ambos guardávamos o outro num cantinho especial do nosso coração. E confesso que após esse último almoço me senti bastante melhor, até porque eu sentia ainda uma pontinha de remorsos pela forma como havia terminado o nosso já longo namoro.

A partir daí só nos contactámos por sms , mail e telefone. Encontrámo-nos casualmente no metro, mas a sensação foi agradável.

O nosso inconsciente (ou subconsciente , não sei como se chama) é no entanto engraçado. Quantas vezes tenho sonhado com ele! Às vezes até me sinto mal pelos sonhos porque têm sempre uma dose de carinho e ternura adicionada. Mas acordada acabo por concluir que não me devo sentir mal por isso, porque de facto é isso que eu sinto por ele, ternura, carinho. Foi alguém que durante anos fez o mesmo caminho que eu, ambos aprendemos muita coisa juntos e continuo a ser sua amiga.

Ontem liguei-lhe, foi o seu aniversário. E que bom que é poder falar-lhe sem qualquer ressentimento!


estou: Feliz

publicado por nofimdoarcoiris às 09:06
link do post | diz-me | favorito

10 comentários:
De daplanicie a 22 de Abril de 2008 às 12:52
É preciso um certo distanciamento no tempo e também uma certa maturidade para se conseguirem superar ressentimentos e mágoas. E quando isso acontece é muito bom. :-)
Beijinhos


De nofimdoarcoiris a 29 de Abril de 2008 às 13:58
E felizmente que aconteceu porque me sinto bem mais leve...
Bjs


De guiga a 22 de Abril de 2008 às 16:31
Entendo-te pois acontece-me exactamente a mesma coisa!
Beijinhos *.*


De nofimdoarcoiris a 29 de Abril de 2008 às 13:59
Beijinhos


De cigana a 22 de Abril de 2008 às 16:48
Ressentimentos, não guardo, conto pelos dedos de uma mão as pessoas de quem guardo mágoa. Mas depois de acabar, acabou, o caso está encerrado e enterrado. Não consigo reatar amizade com alguém por quem tinha outro tipo de sentimentos, não dá.


De nofimdoarcoiris a 29 de Abril de 2008 às 14:01
Ao fim de alguns anos algo ficou, e foi a amizade que sentíamos um pelo outro. E com este distanciamneto temporal de quase 20 anos tudo se tornou mais fácil. Confesso que até a mim me surpreendeu, mas ainda bem que aconteceu.


De Migas a 22 de Abril de 2008 às 23:58
Dizem que o tempo cura tudo... se calhar até é verdade.
Foi preciso dar tempo ao tempo, para que todas as feridas se curassem e para que viesse ao de cima o que de bom ficou da vossa relação.
Fico feliz por ti, por teres tomado a iniciativa de trazer de novo para a tua vida alguem que já significou tanto para ti.
Beijinho


De nofimdoarcoiris a 29 de Abril de 2008 às 14:03
Neste caso foi mesmo o tempo que ajudou a que tudo passasse. Fiquei muito feliz por ter sido assim!
Beijos


De Lau a 28 de Abril de 2008 às 19:20
Costuma-se dizer que não há amor como o primeiro...
Não sei se esse terá sido o teu primeiro amor, mas foi de certeza um dos maiores!!
Mas é bom quando conseguimos "resolver" certas coisa pendentes na nossa vida...
Agora estás mais em paz contigo mesma, verdade ???

Fica bem...


De nofimdoarcoiris a 29 de Abril de 2008 às 14:10
Não foi a primeira paixão mas foi mesmo o primeiro amor. Foi a primeira vez que eu dei muito de mim numa relação, talvez até tivesse dado demasiado. Talvez por isso tivessem ficado tantas mágoas, coisas que não altura, por doerem tanto, não tive coragem de resolver.
Mas é como tu dizes, agora estou mais em paz comigo mesma!
Beijinhos


Comentar post

aqui estou eu
pesquisar
 
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Em jeito de despedida

Viver à Pressa

FELIZ NATAL

Roupa de criança

De volta

Férias

Perguntas ainda sem respo...

Mais um fim-de-semana

Delícias

potes
gosto

Diário de um Homem Sozinh...

Hoje e sempre

Sejam Bem-vindos

FELICIDADE

Antes só do que mal acomp...

Eu, aqui, agora, ontem, u...

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds