Na procura da Felicidade vou, passo a passo, até ao fim do arco-iris
Quinta-feira, 13 de Setembro de 2007
Reflexões

Encontrei esta semana uma amiga que não via há bastante tempo. Soube que tinha falecido recentemente a sua avó e lamentei a sua perda. Houve no entanto um comentário dela que me deu que pensar!

Enquanto falávamos ela disse-me que "ela já tinha 83 anos, mais tarde ou mais cedo ia acontecer"! E eu fiquei a pensar na minha mãe que tem apenas menos 2 anos. Será que por uma pessoa chegar aos 80 anos lamentamos menos?

Eu sei que mais cedo ou mais tarde todos temos o mesmo destino e que, quantos mais anos temos maior é a probabilidade de morrermos. Mas uma perda, como a morte de alguém que nos é querido é sempre de lamentar.

Tenho a certeza que quando um dia isso acontecer o meu sentimento não vai ser diferente por a minha mãe ter mais ou menos idade! Posso resignar-me de outra forma, posso estar mais preparada, mas vou sentir a sua falta.

Não digo com isto que a minha amiga não sentiu a morte da avó. Não a estou a criticar, até porque sei que nestas alturas dizemos frases feitas tentando com elas minimizar a nossa própria dor.  Sei também (infelizmente passei por isso) que por vezes há a tendência para se medir a dor dos outros através de sinais exteriores. Apenas tentei reflectir sobre até que ponto a idade de alguém pode fazer-nos aceitar melhor a sua morte.

 

Mudando de assunto, a minha mãe está a dar-me uma lição de vida.

Foi-lhe dito tudo sobre o que ela tinha, de uma forma calma. Explicámos o que se iria passar a partir daqui, a cirurgia a que vai estar sujeita, a recuperação e o acompanhamento a que vai estar sujeita! E surpreendeu-me a calma que demonstrou! E penso muitas vezes se será uma calma real ou se apenas estará a tentar manter-nos calmas. Até que ponto é que a sua idade (agora sim) a está a ajudar a encarar a doença? Sei também que a sua Fé a está a ajudar mas será a Fé um factor tão importante na nossa vida? Confesso que já não sei. A minha diminuiu bastante há muitos anos e ainda não a consegui recuperar!


estou: Calma

publicado por nofimdoarcoiris às 13:50
link do post | diz-me | favorito

10 comentários:
De Lua de Sol a 13 de Setembro de 2007 às 14:52
Penso como tu. Especialmente quando se trata dos nossos entes queridos a idade com que partem não faz diferença. Dói sempre. Provavelmente a tua amiga está naquela fase em que repete o que muito ouviu, as pessoas têm a mania de dizer essas pérolas como se nos confortassem. Aliás, isso reporta-me para a ideia de que quanto mais vivemos menos temos para viver e é um pensamento deveras frustrante que tem que ser afastado se não elouqueceriamos todos quando chegássemos aos 70, por exemplo, a pensar que só tinhamos mais 10 anos... Quanto à tua mãe, é bem provável que esteja a reagir tão bem por vocês mas a idade também nos traz serenidade. Além disso, não somos todos iguais. Uns somos mais nervosos do que outros!
Beijinhos e vai correr tudo bem


De nofimdoarcoiris a 17 de Setembro de 2007 às 09:52
Penso que sim, que a idade nos traz mais serenidade. E há coisas que se enfrentam melhor. Beijinhos


De guiga a 13 de Setembro de 2007 às 15:51
Compreendo as suas dúvidas. Eu também tenho as minhas. Penso nisso tudo também, quando olho para os meus. Claro, tenho pouco mais de metade da sua mãe, mas com a vida, nunca sabemos com o que podemos contar.
Obviamente, o facto de a pessoa ter mais idade não nos consola. Perdi a minha avó e sofri como uma perdida. Lembro e ainda sofro com isso...
Mas, acho que a vossa mãe está serena porque a vida assim a preparou e ensinou. Acredito nisso.
E julgo que vocês, filhos e familiares, também devem ficar, apoiando-a o máximo possível. E amando-a muito!
Força!
Beijos! *.*


De nofimdoarcoiris a 17 de Setembro de 2007 às 09:56
A vida vai-nos ensinando e vai-nos fortalecendo. Espero que o mesmo me aconteça. Para já sou forte como uma pedra perante os outros mas vou muito abaixo quando estou só.
Beijinhos


De carlos a 13 de Setembro de 2007 às 21:18
Olá! eu não penso assim, n interessa a idade, os meus avós já estão a fazer 81 anos, e mesmo assim eu quero-os sempre por perto, e quando me deixarem vou sofrer muito a sua perda, quer tenham 100, 80 ou 50, são pessoas que amo e que me são especiais. Uma perda é uma perda.
Beijinhos


De nofimdoarcoiris a 17 de Setembro de 2007 às 09:58
Pois é amigo. O que interessa é o que cada pessoa representa na nossa vida!


De Pegadas a 14 de Setembro de 2007 às 12:55
Olá! Eu concordo contigo. A dor pela perda de alguém querido é sempre atroz, quer esse alguém seja novo ou mais velho. Não é pelo facto de perdermos alguém com bastante idade que sentimos menos a sua perda, pelo contrário... pois tivemos oportunidade de conviver mais com essa pessoa, de aprender mais com ela e, como tal, o seu desaparecimento é mais sentido. Só nos resta ir buscar forças precisamente a esse tempo partilhado que tão bem nos fez.
Bjts


De nofimdoarcoiris a 17 de Setembro de 2007 às 10:00
Um beijo grande e obrigada pelas palavras. São um conforto quando nos sentimos um pouco perdidos.


De guiga a 14 de Setembro de 2007 às 17:11
Tem um óptimo fim-de-semana e uma óptima semana!
Vou de férias e volto a 24! depois venho fazer uma visita!
Beijos! *.*


De andrea godoy a 8 de Agosto de 2008 às 17:44
bom estamos falando de perdas a 2 meses meu marido foi assassinato e ate hoje nao assimilamos a siuaçao ele so tinha 41 anos era um homen de bom carater nao estava envolvido em nada de errado então o porque fizeram isso......


Comentar post

aqui estou eu
pesquisar
 
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
26
27
28
29

30
31


posts recentes

Em jeito de despedida

Viver à Pressa

FELIZ NATAL

Roupa de criança

De volta

Férias

Perguntas ainda sem respo...

Mais um fim-de-semana

Delícias

potes
gosto

Diário de um Homem Sozinh...

Hoje e sempre

Sejam Bem-vindos

FELICIDADE

Antes só do que mal acomp...

Eu, aqui, agora, ontem, u...

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds